quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Bost tendencia


Sabe quando você vai na casa de um amigo(a) e chama os pais deles de tios... Então, se você chamar eles no diminutivo fica tiozinho(a), e não é uma boa fazer isso, porque pode sair ofensivo.
E é com esse fluxo aleatório de consciência que eu começo esse post (eu quase escrevi bost... acho tendencia)

terça-feira, 25 de julho de 2017

Netflix ou qualquer outra coisa: Uma dúvida cruel



Podemos considerar o seguinte post bem aleatório.
Já faz vários meses que eu estava sem vontade de realizar vários 'hobbies' que eu tanto gostava como aprender a tocar guitarra, desenhar, escrever e até ler. Isso estava me deixando bem triste, mas finalmente comecei a fazer essas atividades de novo, o que me levou a ter devaneios sobre o assunto. Do tipo: Por que eu não queria fazer algo que eu gostava?

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Resenha - Obsidiana (Saga Lux)

Autora: Jennifer L. Armentrout
Editora: Valentina
Ano: 2011
Nº de páginas:319
Nota: 4/5
Preço: Buscapé

Sinopse: Começar de novo é um saco.
Quando a gente se mudou para o interior, bem no início do último ano do colégio, eu já vinha me preparando para o sotaque caipira, o tédio, a internet lenta e um monte de chatices…Até dar de cara com o meu vizinho lindo, alto de dar tontura e com intimidantes olhos verdes. Hummm…os prognósticos estavam melhorando.
Até que…ele abriu a boca.
Daemon é irritante. Arrogante. Dá vontade de matar. A gente não se dá bem. Não mesmo. Mas, quando um caminhão quase me transforma em panqueca, o garoto literalmente congela o tempo com um aceno de mão e aí, bom, algo inesperado acontece.
O alien gato (meu vizinho) tem poderes!!!
Você me ouviu bem. ALIEN! A verdade é que ele e a irmã têm uma galáxia de inimigos que querem roubar seus poderes. O rastro que deixou em mim brilha como árvore de natal e isso não é nada bom. O único jeito de sair viva dessa é ficar colada em Daemon até a magia alienígena desaparecer.
Quer dizer, isso se eu não matar o cara primeiro.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

domingo, 14 de maio de 2017

Lembrar ou não, eis a questão



Ao entardecer, o ar fica mais frio, os animais mais calmos. E todo o resto mais sombrio. As luzes dentro das casas são ligadas artificialmente, e a relação entre pessoas não passa de movimentos pré-estabelecidos. Como se todos estivessem ligados no piloto automático.

domingo, 23 de abril de 2017

Imaginário


Eu também queria ser imaginário, os problemas da vida adulta me sufocam e tiram minha energia como sanguessugas em um lago estranho. Os monstros que me assombravam ao dormir, me propuseram cessar fogo alegando que eu não sei sorrir. Acusaram-me de não ser mais o mesmo, me segurar ao passado e não seguir em frente, mas é difícil quando todo o resto tomou a dianteira e esqueceram de mim. 

quinta-feira, 6 de abril de 2017

5 músicas calmas para relaxar

Resultado de imagem para fotos tumblr janela

Eis uma lista para quando estiver voltando da escola, faculdade, trabalho ou até mesmo para ficar em casa olhando para o teto e pnsando na vida. São músicas gostosas de escutar e brasileiras. 
Bandas que eu não vejo as pessoas comentando muito, então esse post serve para indicações de bandas também.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Sobre a serie "13 reasons why" (os 13 porquês)


Sim, eu também vou falar sobre essa serie que a internet inteira está comentando. Apesar de já ter começado a ficar cansativo, ter essa série em todo lugar, é importante ver isso como uma oportunidade de abrir discussão, não só sobre suicídio, mas também, sobre o resto que envolve a história. É uma porta de entrada para inúmeros tabus que a sociedade não sabe, nem quer, debater.

quarta-feira, 15 de março de 2017

Resenha - Pollyanna

PollyannaAutora: Eleanor H. Porter
Editora: Companhia Editora Nacional
Ano: 1913
Número de páginas: 181
Nota: 4,5/5

Sinopse: A pequena Beldingsville, uma típica cidadezinha do início do século XX na Nova Inglaterra, Estados Unidos, nunca mais seria a mesma depois da chegada de Pollyanna, uma órfã de 11 anos, que vai morar com a tia, a irascível e angustiada Polly Harrington. Por influência da menina, de uma hora para outra, tudo começa a mudar no lugarejo. Tia Polly aos poucos torna-se uma pessoa melhor, mais amável, e o mesmo acontece com praticamente todos os que conhecem a garota e seu incrível "Jogo do Contente". Uma otimista incurável, Pollyana não aceita desculpas para a infelicidade e empenha-se de corpo e alma em ensinar às pessoas o caminho de superar a tristeza.